Make your own free website on Tripod.com
Home Page  
 


! Home

8 Computador
4 Máquinas de Calcular
4 Comps. de uso Geral

8 Sistemas Operacionais
4 Windows
4 Linux
4 Mac Os X

8 Segurança
4 Hackers
4 Crackers
4 Virus
4 Worms
4 Spywares
4 Trojan Horse

8 Tecnologia
4 RFID
4 VoiP

8 Formulário

8 Outros



Tux - O Mascote Do Linux

Kernel Linux

O kernel do Linux foi primeiramente desenvolvido pelo estudante finlandês Linus Torvalds em uma tentativa de desenvolver seu próprio sistema operacional semelhante ao Unix (Unix-like) que rodasse em processadores Intel 80386.

Linus obteve e estudou o Minix, de autoria do famoso Andrew Tanenbaum, mas não ficou satisfeito com a arquitetura deste. O projeto foi lançado em 1991 em uma famosa mensagem para a Usenet. Curiosamente, o nome Linux foi criado por Ari Lemmke, administrador do site ftp.funet.fi que deu esse nome à directória de FTP onde este inicialmente estava disponível [1] (Linus tentou batizá-lo como "Freax", inicialmente). Desde os primeiros dias, ele recebeu ajuda de hackers do Minix, e hoje recebe contribuições de milhares de programadores de todo mundo.

Arquitetura

Hoje o Linux é um kernel híbrido monolítico. Drivers de dispositivo e extensões do kernel tipicamente rodam com acesso total ao hardware, embora alguns rodem em espaço de usuário. Ao contrário dos kernels monolíticos padrão, os drivers de dispositivo são facilmente configurados como módulos, e carregados e descarregados enquanto o sistema está rodando. Também ao contrário de kernels monolíticos padrão, drivers de dispositivo podem ser pré-inseridos sob certas condições. Essa última característica foi adicionada para corrigir o acesso a interrupções de hardware, e para melhorar o suporte a multiprocessamento simétrico.

Portabilidade

Embora Linus Torvalds não tenha tido como objetivo inicial tornar o Linux um sistema portável, ele evoluiu nessa direção. Linux é hoje, na verdade, um dos kernels de sistema operacional mais portados, rodando em sistemas desde o iPaq (um computador portátil) até o IBM S/390 (um massivo e altamente custoso mainframe)

De qualquer modo, é importante notar que os esforços de Linus foram também dirigidos a um diferente tipo de portabilidade. Portabilidade, de acordo com Linus, era a habilidade de facilmente compilar aplicativos de uma variedade de fontes no seu sistema; portanto o Linux originalmente se tornou popular em parte devido ao esforço para que as fontes GPL ou outras favoritas de todos rodassem no Linux.

Termos de Licenciamento

Inicialmente, Torvalds lançou o Linux sob uma licença que proibia qualquer uso comercial. Isso foi logo mudado para a Licença Pública Geral GNU. Essa licença permite a distribuição e mesmo a venda de versões possivelmente modificadas do Linux mas requer que todas as cópias sejam lançadas dentro da mesma licença e acompanhadas do código fonte..

Apesar de alguns dos programadores que contribuem para o kernel permitirem que o seu código seja licenciado com GPL versão 2 ou posterior, grande parte do código (incluído as contribuições de Torvalds) menciona apenas a GPL versão 2. Isto faz com que o kernel como um todo esteja sob a versão 2 exclusivamente, não sendo de prever a adopção da nova GPLv3.

Sistema operacional GNU/Linux

Logo que Linus Torvalds passou a disponibilizar o Linux, ele apenas disponibilizava o núcleo com alguns comandos básicos. O próprio usuário devia encontrar os outros programas, compilá-los e configurá-los e, talvez por isso, o Linux tenha carregado consigo a etiqueta de sistema operativo apenas para técnicos. Foi neste ambiente que surgiu a MCC (Manchester Computer Centre), a primeira distribuição Linux, feita pela Universidade de Manchester, na tentativa de poupar algum esforço na instalação do Linux.

Desde o começo, o núcleo Linux era inútil sem os utilitários GNU. De facto, o núcleo é apenas uma parte de um sistema operacional utilizável: são necessários também vários outros componentes como bibliotecas de funções, interpretadores de comandos, utilitários e mesmo, em última instância, aplicativos como compiladores e editores de texto.

Todos esses já vinham sendo reunidos pelo Projeto GNU da Free Software Foundation (‘Fundação Software Livre’), que embarcara num subprojeto que ainda continua para obter um núcleo, o Hurd. Dada a demora no subprojeto do núcleo GNU, o Linux veio a constituir um sistema operacional completo híbrido, o GNU/Linux.

Distribuições de propósito geral do Linux

  • Arch Linux
  • Caixa Mágica
  • Conectiva 1
  • Debian
  • Debian-BR-CDD
  • Fedora
  • Gentoo Linux
  • GoboLinux
  • knoppix
  • Kurumin Linux
  • lycoris
  • Mandriva 1
  • Muriqui Linux
  • Red Hat Linux
  • RXART Linux
  • Skolelinux
  • Slackware Linux
  • Sorcerer GNU/Linux
  • SuSE
  • TechLinux
  • tsl linux
  • Ubuntu Linux
  • White Box

Distribuições LiveCD

Estas distribuições rodam diretamente do CDROM, sem necessidade de instalação.

  • Knoppix
  • Kurumin
  • Rxart linux
  • Big Linux
  • Kalango Linux
  • Gentoo Linux
  • Famelix
  • Quantix
  • SLAX
  • GoblinX
  • Dizinha Linux
  • Arco-Debian Linux
  • Litrix Linux
  • GoblinX
  • Ubuntu Linux

Distribuições de propósitos especiais

  • Embedded Debian
  • UcLinux
  • Arm-Linux
  • Bootable Business Card
  • Dyne:Bolic
  • GeexBox
  • Sentry Firewall
  • The Linux Router Project
  • Ubuntu Linux

Para Saber Mais Visite:
Wikipédia


Referências:
Windows | Mac Os X |!| Google | Wikipedia

Onde Você Está:
Home » Sistemas Operacionais » Linux » Mais Linux